Cruzando os Umbrais

 

 

Após seu beijo mortal

Meu ser cruzou os umbrais

Do pecado e da solitude

Lancei ao caos da solidão

Da Vida Eterna enterrando minha luz

E nascendo para a eternidade sombria

Temo a sorte que tive voltar a brilhar

E mesmo assim, acordar desse sono profundo

Ao qual me deixastes na dúvida que me cerca entre me entregar

Ou resistir aos seus cuidados de Mestres dos Desejos Sombrios

Mestre da Noite que me beija a fronte

Segura firma este lindo pescoço, sugando até a alma

Num doce vício, meio erótico, meio insana

Sinto a morte a cada beijo, cada sugada

Se esvaindo até a penúltima gota

Do sangue que ainda mantém meu corpo vivo.

E mesmo assim, ainda me batendo entre sussurros abafados

Sinto o prazer que vem das minhas entranhas ainda quentes e úmidas

Tenho a sorte de ser parte da sua sensatez em manter-me viva

Ainda em seus braços, tremendo entre o medo e a sensação

Da delícia de ser possuída pelo...

 

Mestre dos Desejos Sombrios.

 

 

Malu Freitas

luciafreitas33@hotmail.com